Aposentados, criam um fundo de emergência para imóveis de aluguel

ANÚNCIO

Construa uma almofada para proteger sua renda de uma crise imprevista.

Proprietários inteligentes sabem que coisas acontecem (um inquilino não paga o aluguel ou a fornalha quebra) e de repente a torneira de dinheiro para de fluir.

ANÚNCIO

Para os aposentados que dependem de propriedades alugadas para gerar uma renda estável, é um golpe duplo para suas carteiras. Eles não apenas estão sem uma receita, mas também estão sujeitos a todas as despesas de manutenção da propriedade.

Aposentados, criam um fundo de emergência para imóveis de aluguel
Foto: (reprodução/internet)

Algumas estratégia durante esse período

É por isso que todos eles precisam de um fundo de emergência. As consequências econômicas do COVID-19 deixam claro o ponto: como os inquilinos perderam seus empregos, muitos não conseguiram pagar o aluguel.

Alguns proprietários perdoaram a dívida. Outros se ofereceram para modificar os aluguéis para que os inquilinos pudessem pagar com o tempo.

ANÚNCIO

Moratórias federais, estaduais ou locais proibiram temporariamente os despejos de inquilinos em atraso.

Algumas moratórias estaduais e locais, que se aplicam a propriedades alugadas de propriedade total ou compradas com dinheiro privado, terminaram antes ou foram estendidas. 

O que quer que seja decida legalmente e judicialmente, todos os investidores e administradores imobiliários concordam: um fundo de emergência é essencial. Mas eles discordam sobre quanto reservar.

O conselho dos especialistas

Os gerentes de propriedades de Hampton and Hampton, Kim Meredith-Hampton e seu marido Scott Hampton, de Orlando, Flórida, recomendam uma reserva de dinheiro igual a três a seis meses de pagamentos de hipotecas para uma propriedade, supondo que, se houver mais, apenas uma estará vaga de uma vez.

Eles também sugerem economizar 5% dos aluguéis mensais para reparos e substituições. Para as propriedades administradas pelo casal, eles depositam automaticamente o valor do aluguel cobrado a cada mês em uma conta fiduciária em nome do cliente.

Os fundos são mantidos separadamente do depósito de segurança do inquilino.

Por se sentir deprimida em relação à economia, Cynthia Meyer, uma investidora imobiliária e planejadora financeira da Real Life Planning em Gladstone, NJ, recomenda economizar até um ano de quaisquer tipos de despesas.

Você também deve reservar dinheiro para reparos e substituições de 1% do valor da propriedade anualmente para uma casa mais nova a 4% para uma casa mais velha.

Para criar um fundo de emergência, Meyer recomenda que a cada mês você economize todo o dinheiro restante após cobrir as despesas de propriedade até que tenha acumulado o valor desejado.

Onde você deve guardar essas reservas? Meyer recomenda opções líquidas de baixo risco, como contas de poupança, contas de poupança de alto rendimento, fundos do mercado monetário ou uma escada de CDs com vencimentos de três, seis e 12 meses.

Robin Voreis, um investidor imobiliário e agente da Equipe Voreis em Minneapolis, diz que uma propriedade deve se sustentar desde o início.

“Em virtude de comprá-lo com desconto ou ter muito patrimônio para explorar, ou gerar alto fluxo de caixa quando é alugado, você pode ficar sem o aluguel por alguns meses”, diz ela.

Como backup, a Voreis recomenda ter um cartão de crédito exclusivamente para a propriedade ou uma linha de crédito

Além de todas essas dicas e métodos, é muito comum hoje em dia a caução de aluguel que serve como garantia para o locatário.

De acordo com o site Mellro, a caução “é um tipo de garantia dada pelo inquilino ao proprietário e que deve ser devolvida ao final do aluguel. Essa caução pode ser em, conforme a lei do inquilinato:

  • Dinheiro, pago por depósito ou dinheiro em espécie.
  • Bens móveis, como carro, motocicleta e etc.
  • Bens imóveis, como um outro apartamento, terreno, casa e etc”.

Veja também: Saiba como funciona a alienação fiduciária dos financiamentos de imóveis

Conclusão

A questão é que você precisa ver qual o melhor método se encaixa pra sua realidade financeira e também para o inquilino. São tempos difíceis para todos, então, com todo mundo colaborando, os danos podem ser menores.

Traduzido e adaptado por equipe Cotação Seguro

Fonte: Kiplinger

ANÚNCIO