Como lidar com um parceiro que está controlando demais o dinheiro

Você divide uma casa e uma cama, mas quando se trata de sua conta bancária, você sente que seu cônjuge está se segurando? Morar com um cônjuge que controla demais o dinheiro pode fazer você se sentir preso, em vez de um parceiro igual no casamento.

Não tem que ser assim. Aqui estão algumas sugestões para remediar o problema e colocar suas finanças e seu casamento de volta nos trilhos.

Como lidar com um parceiro que está controlando demais o dinheiro
Foto: (reprodução/internet)

Veja também: Como negociar tudo para o seu casamento

Encontre a causa dos problemas

Converse sinceramente com seu parceiro sobre os problemas de controle dele. Muitas vezes, esse comportamento controlador tem menos a ver com falta de confiança e mais a ver com medo ou ansiedade. Esse medo pode estar vindo da maneira como seu parceiro foi criado. Talvez sua família nunca tenha tido dinheiro suficiente ou um dos pais desperdiçou suas economias em gastos tolos.

Seu parceiro pode querer ter certeza de que pode sustentar a família e não percebe que isso está prejudicando seu relacionamento. É importante saber de onde vêm esses problemas de controle, para saber como proceder com o problema.

Equilibre a carga de dinheiro

Os problemas de controle financeiro do seu parceiro também podem resultar do estresse de tentar equilibrar o orçamento. Tire parte dos encargos financeiros de seus ombros, como pagar contas ou fazer um orçamento para as necessidades diárias. 

Esse ato não só aumentará a confiança em seu relacionamento, mas também poderá mostrar ao seu parceiro que vocês são uma dupla e que ele não está sozinho nessa responsabilidade.

Fale sobre seus sentimentos

Você está estressada e se sentindo na defensiva quanto à maneira como seu parceiro o está tratando, então pode ser tentador listar todas as coisas que ele está fazendo de errado apenas para tirar isso de seu peito. Mas essa tática pode levar a mais brigas. 

Dê ao seu parceiro o benefício da dúvida, mesmo se você souber que ele está intencionalmente errado. Diga coisas como: “Sei que você não está tentando parecer controlador, mas sinto que estou sendo tratada como uma criança, e não como sua parceira, quando se trata de nossas finanças.”

Adicione um terceiro, se necessário

Como o seu parceiro responde? Ele se desculpa genuinamente ou assume a postura do tipo “Meu salário, meu dinheiro”. Se ele expressar o último, é aconselhável procurar um conselheiro matrimonial, pois esse é um assunto para o qual você precisará de ajuda para resolver. Você pode até encontrar um conselheiro financeiro especializado em finanças familiares que possa ajudar.

Compreender o abuso financeiro

Há uma diferença entre um cônjuge que é específico sobre como o orçamento é gasto e outro que controla cada centavo. É claro que, se um dos cônjuges é viciado em jogos de azar ou em compras, é compreensível manter as contas seguras e protegidas. 

Mas se você não tem acesso a nenhum de seus fundos, ou seja, seu nome não está na conta bancária, ou você tem que implorar por dinheiro quando se trata de gastos familiares, isso é considerado abuso financeiro e você deve procurar ajuda.

Um casamento saudável deve incluir igualdade de acesso a fundos e respeito mútuo pelo orçamento da família e entre si, independentemente de quem traz para o dinheiro para casa.

Veja também: 5 conversas sobre dinheiro que todo casal deveria ter

Traduzido e adaptado por equipe Cotação Seguro

Fonte: Wise Bread