Cotação de seguros de moto – entenda a variação de preços!

O seguro de moto é separado em 2 opções: a primeira é o compreensivo, uma alternativa mais completa que garante uma cobertura maior, abrangendo incêndio, colisão, explosão, roubo ou furto além de prejuízos a terceiros.

O outro caso é conhecido como o não compreensivo e este oferece coberturas específicas que são vendidas de formas separadas, cobrindo, normalmente, somente roubo e furto.

Cotação de seguros de moto – entenda a variação de preços!

Esse serviço dificilmente cobra franquia, pois não está incluso prejuízos parciais, fazendo com que o valor pago pela indenização seja efetuado apenas se o automotor for encontrado depois de um furto ou roubo.

A quantia da indenização segue de acordo com a Tabela Fipe. A grande maioria dos motociclistas acabam escolhendo a segunda opção, por possuir um preço mais em conta, porém, grande parcela das seguradoras trabalham apenas com cobertura compreensiva

Variação do valor do seguro

Ao se fazer a cotação do seguro, o cliente perceberá variações no valor final e são vários os motivos. Um deles é uma avaliação sobre o perfil do motoqueiro, tanto que a primeira coisa levantada pelo seguro é a idade.

PROPAGANDA

Se estiver até os 24 anos é determinado como um perfil de risco, por outro lado, pessoas mais experientes, acima desta faixa-etária, tem facilidade para contratos mais baratos.

O histórico também é muito importante, não ter multas e não ter participado de acidentes pode ser um trunfo na hora de negociar. Em alguns casos, existem seguradoras que se baseiam até pelo estado civil, os casados gastam menos.

A localidade onde a pessoa mora também é levado em consideração, pois o endereço do motociclista faz diferença no valor. As seguradoras avaliam quais são os locais que tendem a ser mais perigosos, em geral, os locais mais custosos são as grandes metrópoles.

A mesma lógica se emprega ao local de trabalho, também é pesquisado se existe alguma garagem que o veículo é guardado para passar a noite.

Outro ponto analisado é para qual fim e com qual frequência é utilizada a moto, sendo que quanto maior o tempo que ela seja exposta, maiores serão as oportunidades que poderão ser submetidas a um sinistro.

Além do fato de que as motocicletas já possuem uma maior vulnerabilidade para se envolverem em acidentes e são muito mais visitas para a pratica de furtos e roubos.

Categorias de motos

Para fechar o valor, a seguradora ainda precisa identificar em qual das sete categorias de moto o cliente se encaixa: Custom (Bobber e Chopper); Scooter e Cub; Street ou City; Trail, Fun e Maxitrail ou Big-trail; Naked (Roadster e Streetfighter); Touring, Esportiva ou Speed Bagger; Dresser ou Gran-Turismo (GT).

Motos maiores que são consideradas acima de 500 cc possuem um número bem reduzido de furtos, roubos ou colisão, pois pertencerem a um grupo restritíssimo, que normalmente possui outras conduções a e usam esta moto apenas para diversão, por isso, é a categoria menos com o seguro menos custoso.

PROPAGANDA