Descubra como reunir todos os documentos para declarar o IR

A declaração do imposto de renda é um assunto que costuma assustar muita gente. Isso porque a Receita Federal é como o leão que assusta e busca todo tipo de informação financeira das pessoas.

Só que isso pode ser muito simples de ser feito e vai garantir que você comprove os seus direitos. Se estiver fazendo as coisas dentro da lei, claro. Por isso, uma boa dica é separar, durante o ano todo, os documentos.

Descubra como reunir todos os documentos para declarar o IR

Os documentos são necessários para envio e cadastro de informações na declaração. Saiba quais são os mais importantes.

Os documentos de rendimentos

O primeiro dos documentos que se deve reunir são aqueles de rendimentos que você teve no último ano base, isto é, do ano anterior. Por isso, pense em salários, rendas e juros de investimentos.

Se você é funcionário de empresas privadas ou públicas, saiba que trará também, de forma automática, as contribuições ao INSS e o Imposto de Renda que foi retido na fonte.

PROPAGANDA

Já quanto aos investimentos, o ideal é você pedir ao banco ou à corretora que te mande os rendimentos. Geralmente, isso é feito todo final de ano, de forma automática também. E é preciso mostrar o saldo em conta.

Os documentos das despesas

Nem todos os gastos podem entrar nas despesas da declaração do Imposto de Renda, é verdade. Mas, alguns sim e você vai precisar comprovar isso também, ok?

Então, considere aqueles que podem reduzir o imposto a ser pago. E o que entra aqui nessa lista você já conhece: gastos com educação e saúde, principalmente. Portanto, pense no boleto da faculdade, da escola, do plano de saúde, odontológico, etc.

Os documentos dos bens

Todas as vezes que você comprar ou vender um bem (ou se for a primeira vez que você estiver declarando o seu imposto de renda) saiba que vai ter que fazer a declaração disso.

Não que essas comercializações tenham as deduções ou incidência do imposto, mas de uma forma acaba sendo aplicado à renda no fim dos cálculos.

O motivo é que a Receita Federal considera todo o seu patrimônio para averiguar se a sua renda, que é informada na declaração, está compatível com os seus bens adquiridos ou vendidos. Isso é para evitar que você omita informações.

Portanto, tenha em mãos esses documentos de compra e venda também.

O que precisa ter nos documentos?

Por último, outra informação muito importante é que você tem que verificar se os documentos tem todos os dados que são necessários.

E quais são eles: o endereço e o CNPJ (ou CPF) de quem te prestou o serviço ou vendeu o produto. Além dos seus dados ou dos seus dependentes também, como nome completo e CPF.

Vale lembrar que a recomendação é que se guarde esses documentos por, ao menos, 5 anos. Que é um período em que a Receita Federal pode solicitar a comprovação das informações que foram passadas.

Aí que entra uma ideia incrível: guardar os documentos na nuvem, que é uma forma digital e inteligente de não perder as informações dos documentos e evitar até mesmo a perda dos papéis. Pense nisso.

PROPAGANDA