Itaú Corretora cita as 10 dúvidas do Tesouro Direto mais frequentes

A atividade de investir dinheiro ainda é um assunto que é um tabu para muita gente aqui no Brasil. Por exemplo, existem muitas dúvidas do Tesouro Direto que as pessoas têm. Afinal, ele é seguro ou tem risco? Essa é só uma das perguntas frequentes que ouvimos.

Pensando nisso, o banco Itaú, que tem uma corretora de investimentos, selecionou aquelas que são as 10 dúvidas mais comuns que são feitas pelas pessoas internet e que giram em torno do Tesouro Direto, que é um investimento que vem ganhando força no nosso país.

Vale dizer, antes de qualquer coisa, que o Itaú Corretora é como várias outras corretoras que oferecem a taxa zero para quem quer investir no Tesouro. Ainda assim, considere que você pode ter custos, como com impostos e taxas. Há uma dúvida sobre isso também, leia.

As dúvidas mais frequentes

A última coisa que vamos dizer antes de citarmos as dúvidas é que toda a seleção delas foi feita pelo banco Itaú. Portanto, são de responsabilidade do banco, assim como as respostas. A gente apenas adaptou para que você tenha uma melhor compreensão.

1 – O que são títulos públicos

Conforme o Itaú, são títulos do Governo Federal. O dinheiro é usado para financiar a dívida do país em projetos nas áreas da saúde, educação e infraestrutura. Dá para aplicar a partir de R$ 30.

ANÚNCIO

2 – Quais são os títulos públicos disponíveis

Atualmente, são opções que variam entre o prefixado (com taxa prefixada), o IPCA+ (que é vinculado ao IPCA) que tem os juros semestrais também, além do Selic (ligado à taxa Selic).

3 – Quais os horários de compras e venda de títulos

O banco diz que as compras dos títulos públicos podem ser feitas em dias úteis, das 9h30 até as 18 horas. “Mas, elas podem ser suspensas durante algum dia e por tempo indeterminado, caso o Tesouro Nacional julgue conveniente”.

No caso das vendas, o horário é mesmo. Sendo que as vendas feitas fora do horário serão agendadas e o crédito cairá em até 2 dias úteis, a partir das 13 horas do dia útil seguinte.

4 – Como realizar a compra de títulos pelo site da Corretora

A próxima das dúvidas do Tesouro Direto tem a ver com comprar pela corretora. Tanto a compra como a venda é feita de modo simples: “Acesse a tela de compra, selecione o título, informe a senha eletrônica”.

Leia também: Veja como comprar títulos do Tesouro pela corretora

5 – Qual é a quantidade de títulos que dá para comprar

O Itaú Corretora diz que o volume mínimo de compra é de 1% de um título integral. Isso dá, na mais barata das opções, um valor de R$ 30. Já o valor máximo é de R$ 1 milhão. O mesmo valor vale para reinvestimentos.

6 – Como é a tributação dos títulos públicos

A principal tributação vem do imposto de renda, mas também há o IOF. Sendo assim, “o IOF acontece no vencimento ou na venda antecipada com participação menor do que 30 dias”. Já o imposto de renda segue tabela regressiva, partindo de 22,5% e chegando a 15% do rendimento.

7 – Quais são os custos para o investimento em títulos públicos

Além dos impostos já citados no tópico acima, considere que cada corretora tem uma cobrança para que se faça o investimento no Tesouro Direto. No caso do Itaú, esse custo é zerado para os correntistas. Ainda assim, tem a taxa da B3, que é de 0,25% ao ano.

8 – Qual é o prazo de liquidação das operações dos títulos públicos

Isso vai depender do horário em que realizou a compra. Sendo que a liquidação na conta do Itaú vai acontecer no mesmo dia, se você fizer em horário de funcionamento do Tesouro ou no próximo dia útil. Para as vendas, o crédito aparecer a partir das 13 horas do próximo dia útil.

9 – O que acontece para quem não tem mais recursos para pagar as compras

Para quem é correntista do banco e quer comprar o ativo do Tesouro, mas está sem recursos na conta, considere que você receberá um e-mail diretamente do Tesouro, informando sobre a impossibilidade da liquidação da compra. Logo, a operação é cancelada.

10 – Quais os riscos de investir no Tesouro Direto

O último tópico que temos aqui, que também fala das dúvidas do Tesouro Direto, é sobre os riscos de fazer esse investimento. Basicamente, você tem que saber que essa aplicação é considerada de baixo risco. Principalmente por ser de renda fixa.

“Mas, entre a data da compra do seu título e o vencimento existe uma série de fatores que pode influenciar na variação do preço”. Então, “quando você compra um título do Tesouro deve observar o vencimento para não perder rentabilidade”.

Além disso, o banco cita o risco de crédito. “Os títulos públicos são emitidos pelo governo, no caso, o risco seria de o governo não pagar a rentabilidade acordada, o que depende da conjuntura do momento na economia do país”.

dúvidas do Tesouro Direto

Para saber mais

Se você ainda tem mais alguma, entre essas dúvidas do Tesouro Direto que foram respondidas aqui, saiba que o banco Itaú, através da sua corretora de investimentos, tem uma página onde lista outras perguntas que são feitas de forma frequente.

Além da página, você também pode ver o vídeo. Ele é uma produção do próprio banco e o vídeo é curto, com pouco mais de 3 minutos. Há respostas, por exemplo, para o ciclo de liquidação e para a proteção dos investidores. Ele pode ser assistido de forma gratuita.

ANÚNCIO