Conheça 3 dicas para escolher o melhor cartão para viagens

O cartão de crédito já é uma das formas de pagamento mais usadas no mundo inteiro. Na hora de falar de viagens internacionais, aí é que ele ganha importância mesmo. Afinal, é um meio seguro de realizar pagamentos. Só que esse tipo de pagamento exige cuidados se for feito fora do país.

Na verdade, este conteúdo é para quem vai solicitar o cartão para viagens. Isto é, pedir um cartão de crédito pensando no uso em viagens, que podem acontecer dentro do país ou fora daqui. A nossa ideia foi selecionar os pontos importantes a serem analisados.

Conheça 3 dicas para escolher o melhor cartão para viagens

E a gente não está influenciando você a pedir esse ou aquele cartão. Na verdade, a gente quer te ajudar a encontrar aquele que é o melhor para você.

1 – Os benefícios

A primeira dica é sobre estudar os benefícios do cartão de crédito. É claro que por se tratar de um cartão para viagens, o ideal é que ele tenha vantagens quanto à esse tema mesmo. O mínimo que se espera é que seja internacional.

Mas, dá para considerar benefícios que são comuns em versões black ou infinite. Como os seguros viagens, os seguros para automóveis, os serviços de concierge, o acesso à salas VIPs de aeroportos, entre outros.

ANÚNCIO

Já quanto aos diferenciais, isso vai depender de cada emissor do cartão. Mas, de um modo geral, eles são participantes de programas de pontos, o que sugere uma possibilidade de juntar milhas aéreas e trocar por vantagens. Entre elas, os descontos em passagens aéreas.

2 – Os custos

Só que além de se analisar os benefícios, também se deve considerar os custos de um cartão de crédito. Mesmo que hoje em dia a gente tenha opções sem anuidade, ainda é comum que as versões mais “vantajosas” tenham custo.

Um dos principais custos é o valor da anuidade, que podem ultrapassar os R$ 500. Mas, há opções mais econômicas também. Inclusive, tem aqueles que possuem anuidade isenta a partir de um gasto mensal determinado, como é o caso do Black da Credicard.

E, além da anuidade, todo cartão de crédito também pode ter custos com as tarifas e impostos. Por exemplo, ao se usar um cartão fora do país, saiba que existem o custo do IOF, que é o imposto sobre operações financeiras. Geralmente, ele é de 6,38%.

3 – As recompensas

A nossa última dica para quem está estudando solicitar o cartão para viagens tem a ver com as recompensas. Como vimos, o ideal é analisar o custo-benefício, isto é, ver os benefícios e saber se os custos são compensadores. Mas, há mais detalhes.

Esses detalhes podem estar no atendimento do cartão ou mesmo na hora de reverter as recompensas. Há programas que exigem pontuações altas demais ou tempos curtos demais para isso. O que pode prejudicar, e muito, o cliente.

Portanto, uma boa recomendação é falar com quem tem esses tipos de cartões ou ler comentários na internet. Há sites, como o Reclame Aqui, que cita muito bem os problemas de algumas operadoras de cartões. Esse é um bom começo para você que vai pedir um cartão de crédito para viagens.

ANÚNCIO