Confira 3 coisas para analisar antes de escolher um consórcio de motos

Comprar uma moto através de um consórcio pode até ser uma boa ideia. Mas, se não tivermos cuidados, a gente acaba pagando bem mais do que deveríamos. Para se ter uma ideia prática, as taxas de administração podem ser mais do que o dobro em algumas administradoras.

Pensando nisso, a gente separou 3 cuidados que se deve ter ao contratar ou escolher um consórcio de motos no Brasil. Além da taxa de administração, também se deve considerar o valor da carta de crédito e o valor das parcelas que devem ser pagas mensalmente. Entenda mais sobre cada um desses temas.

Confira 3 coisas para analisar antes de escolher um consórcio de motos

1 – O VALOR

O valor da carta de crédito é a primeira coisa que deve ser considerada por quem está estudando um consórcio de motos. Isso porque não adianta ter uma carta de crédito menor do que um valor da moto que você quer, né.

Além do mais, o ideal mesmo é que a sua carta de crédito seja maior do que o valor da moto. Sabe por quê? Porque ao pegar a sua moto você terá alguns custos e gastos iniciais, como com a documentação e transferência.

Agora, se você escolher uma moto mais cara, pior ainda. Porque além da documentação você vai ter que pagar a diferença, né. Pense nisso.

PROPAGANDA

2 – AS PARCELAS

O segundo detalhe que se deve pensar é sobre o valor das parcelas e não da carta de crédito. Assim sendo, saiba que geralmente o consórcio é o preferido das pessoas porque ele possui valor de parcela mais baixo e cabe no bolso.

Assim sendo, o ideal é ter um valor de parcela que você realmente consiga pagar. Porque em caso contrário você pode ter multas e juros, além de entrar em dívidas rapidamente.

O mais indicado é que nunca se tenha parcelas que ultrapassem o valor de 30% de todo salário. Mas, para os mais conservadores, essa porcentagem deve ser de, somente, 10% do salário. Aí, cabe a cada pessoa considerar o que é melhor.

3 – A TAXA

Por último, mas não menos importante, o que temos é a taxa de administração. Ela talvez seja um dos pontos mais consideráveis porque pode corroer totalmente o seu consórcio. Apesar de não ter juros, o consórcio tem essa taxa, que é bem ruim.

Aí, a dica é analisar qual é o tipo de plano que tem a menor taxa, obviamente. As administradoras de consórcios podem optar por taxas diferentes para cada grupo, com base em cada característica, valores, quantidade, etc.

Mas, o que não muda é que o valor da taxa de administração sempre vai interferir no custo final do quanto você pagou no contrato todo. Assim sendo, o jeito é comparar e estudar as taxas.

BÔNUS – as taxas cobradas

Em 2017, o Konkero fez uma comparação de taxas que as administradoras cobram no consórcio de motos no país. Para se ter uma ideia da divergência entre elas, saiba que a Luiza Consórcios tinha taxa de 14,5% enquanto que a taxa da Suzuki passava dos 30%.

Se tiver interesse, veja a lista comparativa aqui.

PROPAGANDA