Financiamento de carro no Santander

O financiamento de carro no Santander Santander possibilita que o correntista financie até 100% do carro com prazo de pagamento de até 60 meses.

Além disso, o banco também dá a vantagem para que a 1ª parcela seja paga após 59 dias.

Mas, para isso, os veículos precisam ter até 10 anos de fabricação, no caso dos usados.

As parcelas mensais são fixas e pagas em débito automático na conta do cliente.

Também há a opção da cobertura opcional, que acontece através do Seguro Proteção Premiada.

Dessa forma, ainda que seja um correntista, o usuário precisará passar por um crivo de análise de crédito – que será analisada no momento da contratação.

A dica é analisar o CET (Custo Efetivo Total) que pode variar conforme as condições da operação que vai ser contratada.

O CET tem que ser disponibilizado pelo banco e serve para dar base à taxa anual efetiva dos juros que serão pagos durante o ano.

E vale lembrar também que no financiamento de veículo do Santander há a incidência do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) – ele também é cobrado no pagamento à vista.

Para contratar o financiamento de carro do Santander, é preciso ser correntista do banco. Depois, é preciso fazer o contato com o gerente e analisar o contrato em questão.

Leasing do Santander

Para comprar um veículo, o Santander também disponibiliza o leasing bancário, também chamado de arrendamento mercantil.

Ele permite que qualquer veículo (novo ou usado) seja usado por um período e com condições pré-definidas.

É como se fosse um empréstimo do bem mesmo.

Só que após o término do prazo, o contratante pode optar pela compra por um valor que já vai ser estabelecido também.

Para conseguir essa opção, basta escolher o seu veículo e negociar as condições com o banco.

Nesse caso, as características são:

  • Prazos de pagamentos de 24 a 60 meses,
  • Opção da compra do bem,
  • Isenção da cobrança do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras),
  • Parcelas fixas,
  • Débito automático,
  • Atendimento personalizado.

No entanto, apesar da isenção do IOF é cobrado o ISS (Imposto sobre Serviços) sobre cada prestação mensal. Além da tarifa de adiamento do contrato no caso de substituição do veículo.

Também vale a pena considerar o CET.

Com informações do Santander