Saiba como funcionam as garantias dos empréstimos do BNDES

Os empréstimos cedidos pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social) são ótimas formas de alguns empreendedores alavancar seus negócios. Isso pode ser feito através da compra de materiais, de treinamentos, de capital de giro, entre outros.

Dessa forma, muita gente e empresas têm buscado as garantias desses empréstimos. Porém, fica a dúvida sobre o assunto. Será que é preciso dar um bem como garantia ou será que as garantias não são necessárias? É sobre isso que vamos falar neste conteúdo.

Saiba como funcionam as garantias dos empréstimos do BNDES

E leve em conta que existem várias regras, conforme o tipo de empréstimo que é feito com o BNDES. A gente explica cada uma das regras, confira abaixo!

OPERAÇÕES INDIRETAS

As operações indiretas são aquelas mais comuns. Elas podem ser feitas por empresas que queiram solicitar um empréstimo menor do que R$ 10 milhões. De modo geral, até mesmo os MEIs (microempreendedores individuais) podem acessar esse crédito.

O que muda é que os interessados devem solicitar o crédito através de bancos credenciados ao BNDES. Por isso, as garantias são negociadas entre as instituições financeiras parceiras e o cliente. Assim sendo, elas possuem liberdade para a negociação, assim como para a aprovação do pedido.

ANÚNCIO

OPERAÇÕES DIRETAS

Já as operações diretas são aquelas acima de R$ 10 milhões, que devem ser feitas diretamente no BNDES pelas grandes empresas. Nesse caso, os clientes têm que apresentar o que é chamado de “garantias reais”.

Isso quer dizer que é preciso considerar assuntos como a hipoteca, a propriedade fiduciária, os recebíveis e até mesmo questões pessoais, como fiança ou aval. Assim, nesse caso não há relações com os bancos e sim com o BNDES.

MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

Já quando o assunto são as máquinas ou os equipamentos, o assunto muda um pouco. Isso porque o financiamento tem que ser constituído de uma propriedade fiduciária sobre os bens, que será mantido até a liquidação do contrato.

Não pode ser substituído os bens integrantes da garantia por qualquer outro, exceto nos casos de sinistro ou problema de performance no período de garantia. E isso tudo deve ser informado ao BNDES.

EXPORTAÇÕES

Por último, considere que existem os casos de exportações, que são feitos através do produto BNDES Exim. Assim sendo, é possível apresentar garantias de bancos no exterior. E nesse caso há instituições financeiras no exterior que são admitidas como garantidoras. Confira aqui.

Saiba mais sobre o Fundo Garantidor para Investimentos

O Fundo Garantidor para Investimentos, chamado de BNDES FGI, é um instrumento usado para complementar as garantias de operações indiretas de financiamento. E o objetivo desse instrumento é facilitar a obtenção de crédito para alguns grupos.

Entre eles, temos: micro, pequenas e médias empresas. Além dos empreendedores individuais e dos caminhoneiros autônomos. Isso também permite algumas condições especiais, como melhores condições, prazos mais longos, exigências de entrada e menores taxas de juros.

No entanto, para usar o BNDES FGI existe um custo, chamado de Encargo por Concessão de Garantia (ECG). E ele vai depender do valor financiado. Saiba mais sobre essas regras aqui.

ANÚNCIO