Veja esse passo a passo para quem vai abrir um MEI para vender roupas

Se você está pensando em abrir um MEI para vender roupas, saiba que existem ótimas possibilidades para você. É claro que tudo vai depender da sua dedicação. Por isso, trouxemos aqui algumas dicas do Sebrae para quem quer sucesso após investir nesse nicho de mercado.

Aliás, para quem não sabe ainda, o MEI é o Microempreendedor Individual. Essa é uma forma regularizada de estar no mercado de trabalho. De modo geral, o MEI é um profissional autônomo, prestador de serviço e que trabalha de forma independente.

E isso tem várias vantagens, desde a possibilidade pagar tributos de forma única até mesmo na hora de emitir notas fiscais, receber benefícios e ser visto de modo mais autêntico, já que você terá até mesmo um CNPJ para a sua empresa. Saiba mais.

O passo a passo do Sebrae

Esse passo a passo foi criado pelo Sebrae e tem o intuito de ser um guia para quem quer abrir um MEI para vender roupas. Basicamente, o conteúdo foi dividido em 4 grandes tópicos, sendo: o planejamento, a identidade, o atendimento e a formalização.

Assim sendo, o Sebrae ainda fala os motivos que escolheu tais tópicos. Veja: “Os vendedores autônomos de roupas conhecem bem os requisitos para conquistar a clientela: bons preços, atendimento personalizado, produtos diferenciados e uma boa rede de contatos”.

ANÚNCIO

Assim sendo, a ideia é que o vendedor esteja atento às demandas do mercado. Assim sendo, “há alguns passos para conquistar a clientela a ponto de fideliza-la e se tornar ainda mais competitivo”. Os passos você acompanha a seguir.

PLANEJAMENTO

O planejamento é o primeiro passo e não poderia ser diferente. Qualquer estratégia para a abertura de uma empresa tem que ter o planejamento. Portanto, isso jamais deve ser negligenciado pelos vendedores de roupas autônomos.

Mas, o que deve ter nesse planejamento? O perfil dos produtos, as características de compra, o público alvo, as metas, a atração de novos clientes, a expansão do negócio e muito mais.

“Planejar não quer dizer que você tenha que elaborar planilhas complexas ou produzir um relatório extenso. Uma simples organização e descrição de objetivos já são ótimos pontos de partida”, diz o Sebrae.

Ainda com base no que diz o Sebrae, com o planejamento bem feito, a tomada de decisões se torna mais fácil. “Um bom exercício é começar a estabelecer horários de trabalho, com os clientes a serem visitados e o controle de peças”.

IDENTIDADE

O próximo passo é sobre a identidade. Nesse caso, saiba que os autônomos se assemelham as lojas físicas porque precisam ter identidade também. Logo, tenha sempre em mãos os cartões de visita e uma padronização de mostruário e embalagens.

Nesse caso, a dica é elaborar uma embalagem personalizada para presentes, com o nome da marca, o contato direto e outras informações. Isso encanta todo cliente e ajuda muito na divulgação do seu trabalho, produto, venda.

ATENDIMENTO

No caso do atendimento, não basta você ter muitos familiares, parentes e amigos para comprar. Saiba que é preciso ir além disso. “Atender bem é obrigatório em qualquer tipo de negócio, mas na venda direta é ainda mais essencial”, avalia a instituição.

Logo, o que se deve fazer para ter um bom atendimento? O mais fundamental é ter simpatia, boa comunicação, informações detalhes, ser criativo e até mesmo um pouco do que é moda e tendência no mercado de roupas.

Pensando nisso, o Sebrae encontrou 4 dicas de estratégias para quem quer ter um atendimento com resultado na hora de vender roupas. Anote aí: investimento no marketing pessoal, presença na internet, promoções/descontos, trabalhar com nichos pouco explorados.

No caso dos nichos pouco explorados temos opções como a de roupas para bebês, por exemplo. Além do vestuário masculino, peças plus size, moda evangélica, acessórios para pets, entre outros.

FORMALIZAÇÃO

O último passo, que dita o Sebrae, indicado para quem está pensando em ser um MEI para vender roupas é pensar na formalização. Mas, como você sabe, o MEI é a forma de estar formalizado, por isso, é uma opção totalmente viável.

“Além de dar acesso a direitos trabalhistas, a formalização contribui para o fortalecimento do mercado. Deve ser levada em conta que os vendedores autônomos de roupas podem se cadastrar como MEI. O processo é gratuito e com zero burocracia”.

No caso dos benefícios, a gente pode citar os principais, como: auxílio-doença, auxílio-maternidade, aposentadoria. Lembrando que o MEI tem um CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) e é enquadrado no Simples Nacional, facilitando o pagamento de impostos.

“Essas são dicas simples, mas que fazem toda a diferença na hora de você abrir um negócio próprio”, avalia o Sebrae. E para quem quiser saber mais do assunto, a página de conteúdo da instituição fica disponível, sem custos e é acessível para todo interessado.

Bônus – tendência de moda para 2020

MEI para vender roupas

Puxando esse assunto que falamos acima, saiba que o Sebrae também divulgou um material recentemente falando sobre as tendências de moda para o início deste ano. Assim sendo, o conteúdo todo foi disponibilizado em vídeos.

E em cada vídeo dá para ver que o Sebrae cita o exemplo de uma pirâmide. Sendo assim, o MEI que vende roupas deveria pensar em inovação, assertividade, competitividade. Você também pode acessar esse conteúdo para agregar valor ao seu conhecimento. Tudo é gratuito.

ANÚNCIO