O que esperar das ações da Apple até o final de 2020

A Apple está tendo um quarto trimestre difícil , depois que suas ações brilharam durante a maior parte de 2020. Como mencionei recentemente, a Apple praticamente não tem mais catalisadores para pegar as manchetes no restante do ano. 

Mas isso não quer dizer que a ação possa não se mover no último mês de 2020. Hoje, vejo o que pode empurrar as ações da Apple para cima (ou para baixo) nas próximas semanas.

O que esperar das ações da Apple até o final de 2020
Foto: (reprodução/internet)

Veja também: As empresas com o maior valor intangível

Movimento amplo de mercado 

Em minha opinião, as ações da Apple provavelmente serão “empurradas” por amplas forças de mercado, em vez de impulsionadas por forças específicas da empresa. O S&P 500 está em alta desde o final do ciclo de eleições presidenciais dos EUA, tendo subido 11% apenas em novembro.

A mesma diminuição na percepção de risco tem proporcionado algum impulso às ações da Apple, mas em menor grau. As ações subiram 5% no mês, o que pode parecer um erro de arredondamento para os investidores que viram a Apple subir 80% no acumulado do mês até o final de agosto.

O problema é que, poucos argumentarão contra isso, parece ser a hora para as ações da “velha economia” brilharem. As notícias na frente da vacina contra o coronavírus encorajaram os investidores a transferir dinheiro de ações como a Apple e outras empresas domésticas para nomes cíclicos.

Como temos vista recentemente

“A combinação de baixa avaliação relativa e o estágio atual do ciclo econômico favorece o valor e a pequena capitalização em relação à tecnologia e ao crescimento.” Em um ponto, espero que a Apple recupere algum terreno perdido em relação às ações cíclicas. 

Não acredito, porém, que a próxima etapa acontecerá em 2020, talvez nem mesmo nos primeiros dois meses de 2021. Certo, sempre posso estar errado. Por isso, será interessante ver o que o mês de dezembro reserva para os investidores da Apple.

Temporada de férias

O outro fator potencial de alta (ou desvantagem) no preço das ações é a temporada de férias de 2020. A Apple chega com uma ampla gama de novos dispositivos, do iPhone 12 ao Mac baseado em ARM e um pouco entre os dois.

Preste atenção à leitura inicial sobre as vendas de fim de ano, que devem vir principalmente de empresas de pesquisa terceirizadas e analistas de Wall Street.

Uma dessas leituras, fornecida por Matthew Cabral , do Credit Suisse, não foi tão encorajadora. De acordo com o analista, a espera por alguns modelos do iPhone 12 encurtou, sugerindo uma dinâmica de oferta e demanda mais equilibrada apenas algumas semanas após o lançamento dos aparelhos.

Para ser claro, a temporada de compras mal começou, com a importante Black Friday (Nos EUA) ainda pela frente. O bom desempenho de vendas pode encorajar os investidores a reconsiderar a compra da Apple antes do final deste ano turbulento.

Veja também: Microsoft registra lucro de quase 14 bilhões de dólares, quebrando as expectativas

Traduzido e adaptado por equipe Cotação Seguro

Fonte: The Street