Por que vale a pena ser um cliente paciente

ANÚNCIO
Por que vale a pena ser um cliente paciente
Foto: (reprodução/internet)

Desde que aprendi que os consumidores que pesquisam menos tendem a ficar mais felizes com suas compras, tenho orgulho de meu método de compra “bom o suficiente”. 

Ao contrário do meu marido, que faz semanas (ou meses) de pesquisa, buscando opiniões de especialistas, investigando os prós e contras de várias opções e pesando suas preferências em comparação com os custos, eu tendo a descobrir o mínimo que preciso para ser feliz e comprar o primeiro item que encontrei que atende às minhas necessidades e faixa de preço.

ANÚNCIO

De acordo com Barry Schwartz, autor do livro O Paradoxo da Escolha, meu método de tomada de decisão é chamado de “satisfazer”, enquanto meu marido se dedica à “maximização”. Os maximizadores acreditam que existe uma versão ideal de tudo o que procuram e têm como missão encontrá-la. 

Mas os maximizadores às vezes ficam angustiados com a compra mesmo depois de concluí-la, porque temem que haja uma versão melhor por aí. Os “satisfeitos”, por outro lado, se concentram no que será bom o suficiente para atender aos seus critérios mínimos, o que significa que os satisfeitos geralmente ficam mais felizes com suas decisões.

Embora eu já tenha me sentido um pouco orgulhoso com o fato de que a ciência provou que meu jeito é melhor, recentemente percebi que existem alguns problemas em tomar decisões boas o suficiente que os maximizadores não têm. Eis por que o satisfeitos às vezes pode levar você ao erro na tomada de decisões. 

ANÚNCIO

Veja também: 4 coisas que o impedem de uma vida de independência financeira

O estilo “satisfeito” pode custar caro

Recentemente, comprei uma nova cadeira para mim. Trabalho em casa e queria uma cadeira que oferecesse mais apoio lombar e algum acolchoamento. Então fui a uma loja de materiais para escritório e comprei uma cadeira de escritório que parecia confortável, bonita e estava dentro da minha faixa de preço.

Fiquei feliz com minha compra por cerca de seis semanas, até o dia em que coloquei um pouco de peso no encosto da cadeira e ela quebrou. Acontece que o encosto da cadeira era feito de aglomerado sob o forro, e era apenas uma questão de tempo até que algum tipo de pressão quebrasse a placa em torno dos parafusos que a prendiam no lugar. 

Minha cadeira “boa o suficiente” só poderia ser usada por seis semanas, e agora tenho que comprar uma nova. Teria sido menos caro se eu tivesse passado mais tempo pesquisando quais cadeiras são bem avaliadas, mesmo se eu tivesse acabado com uma cadeira mais cara.

E esta não é a primeira vez que minha disposição de aceitar “bom o suficiente” me custou dinheiro. De móveis à utensílios de cozinha, descobri que comprar algo que se encaixa em meus critérios mínimos às vezes resulta em uma compra que não funciona a longo prazo. O que significa que preciso gastar mais dinheiro para comprar um substituto.

Os maximizadores, por outro lado, podem não ser capazes de tomar uma decisão rápida, mas seu comprometimento em pesquisar suas compras significa que é improvável que eles fiquem presos em uma cadeira quebrada em apenas seis semanas.

“Satisfeitos” e satisfação não são a mesma coisa

Embora eu seja muito o típico modelo “satisfeito”, existem algumas compras que trazem o maximizador em mim. Um deles são cadernos e diários em branco. Adoro comprá-los e quero que o diário que comprei se encaixe precisamente no projeto que tenho em mente.

Por exemplo, recentemente passei quase uma hora e meia olhando os cadernos em branco em exibição em nossa livraria independente local para encontrar o perfeito para um futuro projeto criativo. 

Embora eu certamente pudesse usar qualquer livro em branco para rabiscar anotações e fazer desenhos, aquele que encontrei incorporava a estética exata que eu procurava e tinha um papel lindo, cremoso e sem forro dentro, exatamente como eu queria.

Encontrar a coisa exata que você quer comprar depois de fazer uma pesquisa diligente oferece um nível muito mais alto de satisfação pessoal do que se contentar com o que é bom o suficiente. Embora esteja sempre feliz por poder fazer uma compra e seguir em frente com meu dia, admito que minhas maneiras de satisfeito “com tudo” às vezes podem enganar-me na satisfação de encontrar exatamente o que desejo.

O modelo “satisfeito” pode levar a decisões descuidadas

Em última análise, os satisfeitos como eu preferem não perder tempo fazendo uma escolha. Muitas vezes optamos pela opção boa o suficiente porque preferimos que a decisão seja tomada e terminada de uma vez do que gastar qualquer tempo extra com ela.

Essa preferência por fazer isso (em oposição à preferência dos maximizadores por fazer da maneira certa) às vezes pode colocar uma pressão de tempo desnecessária sobre o satisfeito. Mesmo que não haja nenhuma urgência particular para uma decisão, um satisfeito pode sentir que precisa apenas tomar qualquer decisão para que possa riscá-la de sua lista.

Isso aconteceu comigo em várias ocasiões, quando eu só queria passar para a próxima coisa. Por exemplo, quando precisei mudar de voo devido a uma emergência familiar, escolhi o primeiro voo que a companhia aérea me ofereceu, para que pudesse cuidar do próximo que ajudaria minha família. 

Mas aquele vôo estava em um horário inconveniente e causaria mais estresse para minha família. Meu desejo de tomar uma decisão e seguir em frente rapidamente significava que eu tinha que ligar de volta para a companhia aérea e perguntar novamente se eles mudariam meu voo. 

Cometi esse erro porque minhas tendências de satisfeito priorizavam fazer as coisas rapidamente, em vez de fazer da maneira certa

Aprendendo a maximizar e satisfazer

Embora provavelmente sempre me incline mais para a extremidade do estilo satisfeito do espectro de tomada de decisão, sei que adotar algumas formas de maximização pode me ajudar a tomar decisões melhores. Garantir que eu eleve meus padrões, abrace a alegria de encontrar a escolha certa para mim e me retarde ao tomar decisões, tudo isso me ajudará a aproveitar o melhor dos dois mundos.

Por que vale a pena ser um cliente paciente
Foto: (reprodução/internet)

Veja também: 3 coisas que você deve considerar antes de vender sua casa por dinheiro

Traduzido e adaptado por equipe Cotação Seguro

Fonte: Wise Bread

ANÚNCIO