Conheça as regras para o transporte de alimentos em viagens para o Brasil

As férias estão chegando. E, de forma comum, esse é um período do ano dos mais esperados. E não é só pelas crianças, não. Isso porque é comum as viagens nas férias. Tem quem prefira praias ou resorts ou hotéis ou pousadas ou mesmo acampamentos.

Mas, o assunto de hoje não é para falar do seu destino especificamente. Mas, sim, sobre as regras para levar alimentos nessas viagens.

Conheça as regras para o transporte de alimentos em viagens para o Brasil

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo fez uma publicação informando tais regras, que devem ser seguidas. E o motivo do texto é para auxiliar as pessoas no consumo mais saudável dos alimentos.

“Pode haver o risco de a pessoa trazer alimentos contaminados ou com alguma praga que não tenha no Estado ou no País. Isso prejudica a exportação e causa prejuízo econômico para o para todo mundo”.

Nas viagens de avião

Nas viagens de avião, considere que o primeiro ponto é obedecer as regras da companhia aérea. Isso porque a maioria das empresas não permite os alimentos perecíveis.

Aí, a recomendação é dar preferência para levar alimentos na mala de mão, evitando as condições da outra bagagem, que pode estragar os alimentos.

Portanto, de forma geral, você pode levar na sua mala de mão no avião cafés, produtos de origem vegetal industrializados e conservados, erva-mate, pós embalados, margarinas e pastas, glicose e açúcar refinados, bebidas em embalagens de até 100 ml.

Já os vinhos tem um limite de 12 garrafas da mesma marca ou até 18 de fabricantes diferentes. E outras bebidas alcoólicas podem ser levadas em um limite de 12 litros.

De outro lado, não se pode levar carnes, leites, ovos, vegetais e frutas de outros países também não devem ser trazidos para o Brasil. Mel, cera, própolis, mudas e sementes também são proibidas.

Nas viagens de ônibus

Nas viagens de ônibus, considere que a gente pode sempre levar muito mais malas do que nos aviões. No entanto, também há regras e limites para ter uma viagem mais agradável.

Leve em conta que se permite os lanches pequenos e fáceis de manejar. Já as comidas perecíveis ou o transporte de encomendas para outras pessoas não é permitido na bagagem de mão.

Agora, se for alimento embalado originalmente, com rótulos e identificação, sem que ponha em risco quesitos sanitários, aí dá para despachar nas bagagens sim.

Também se deve verificar a legislação vigente sobre o transporte de alimentos em cada empresa e país, avalia a Secretaria.

Exceções à regra

Vale lembrar, no entanto, que existem sempre as exceções às regras. Dá para citar casos de pesquisas feitas ou mesmo de necessidade, com em casos de doenças.

Aí, a exceção vai ser avaliada pela Secretaria e outros órgãos, além das empresas de transporte. Portanto, antes de iniciar a sua viagem ou fazer as malas, planeje isso.

O ideal é solicitar, com bastante antecedência, a autorização para portar e transportar esses alimentos proibidos ao Ministério da Agricultura do seu país de origem.