Setor de seguros deve perder US$ 203 bilhões na pandemia

Você já estava com viagem comprada para 2020? Perdeu um ingresso de um show que iria assistir? Sim, os planos deste ano foram surpreendidos com uma pandemia a nível global. Em todo o mundo, os planos tiveram que ser cancelados. 

A situação de ter que pedir reembolso e ser pago por segurados se tornou comum em todo o mundo. Isso se deu pela perda de ingressos de jogos, pacotes de viagens, eventos culturais e mais serviços que resultaram na perda de 203 bilhões de dólares do setor de seguradoras

No mercado, o abalo econômico já era falado e o setor empresarial temia pelo pior. Uma análise feita recentemente quantificou essa perda em dólar nas seguradoras globais e o resultado foi surpreendente. 

Setor de seguros deve perder US$ 203 bilhões na pandemia
Fonte: (Reprodução/Internet)

 

Saiba mais sobre o impacto financeiro no setor de seguros.

ANÚNCIO

Crise que marca a história 

A pandemia do COVID 19 já bateu diversos recordes ao redor do mundo e as comparações a eventos anteriores dão uma dimensão de seus efeitos. No mundo inteiro até meados de maio o número de confirmados chega perto da casa dos 5 milhões.  

Por quantidade de contaminados, os Estados Unidos lideram o ranking com mais de 1,5 milhão, seguida da Rússia com 290 mil  e Inglaterra com 243 mil. O Brasil está em quarto lugar com mais de 241 mil casos confirmados prestes a passar o quarto colocado. 

Como previsto, a pandemia trouxe ao mundo consequências em todos os níveis e áreas. Esse cenário mostra não apenas o impacto na saúde do mundo, mas coloca países, empresas grandes ou pequenos negócios em uma situação vulnerável.

Pandemia causa prejuízo bilionário 

Além da perda de milhões de vidas, a estrutura econômica e o ambiente empresarial de cada país também foi um ponto da discussão. Sobre isso há uma ideia de que o abalo financeiro se compare com ao do ataque de 11 de setembro nos Estados Unidos. 

A análise feita pela companhia de seguros Lloyd’s mostrou que a perda do setor de seguros será de 203 milhões de dólares. O dado mostra que o impacto também é semelhante ao o que foi sofrido pelo mercado em furacões de anos anteriores. 

O dado choca, pois setor sofreu o equivalente a perda financeira nos furacões Katrina em 2005 ou no Irma e Maria em 2017, uns dos mais agressivos da história. O valor corresponde a milhares de indenizações e seguros pagos ao redor do mundo por tudo que foi cancelado. 

O valor em indenizações pagas

A análise foi feita pelo mercado de seguros de Londres e quantificou em valores o que corresponde a todo esse montante acumulado em prejuízo.  Dos US$ 203 milhões, US$ 107 bilhões  foram pagos apenas de indenizações.

As indenizações foram pagas tanto a empresas como a pessoas, e se deram segundo a companhia, pelo cancelamento de eventos esportivos, eventos culturais, seguros de viagens e entre outros. Na lista dos grandes festivais estão o Lollapalooza e o Choachella. Confira mais eventos cancelados. 

O valor também corresponde a US$ 96 bilhões de perda de valor em investimentos feitos. A mesma análise mostrou que apenas a Suma antiga instituição londrina de seguros deverá pagar cerca de US$ 4 bilhões aos clientes ao redor do mundo.

ANÚNCIO