O que é um sinistro de seguro e para que ele serve?

Sinistro é qualquer ocorrência que está presente na cobertura oferecida pelo seguro, seja ela involuntária, inesperada ou que não tenha sido prevista.

Resumidamente, se trata de acidentes ocorridos no trânsito, incêndio que aconteceu de forma acidental, além da subtração do automóvel segurado, sendo roubo ou furto. Todo prejuízo oriundo destas situações cobertas pela apólice deve providenciar indenização para o cliente.

O que é um sinistro de seguro e para que ele serve?

Quando um automóvel assegurado passa por um sinistro, a seguradora deve efetuar o pagamento de uma indenização, na qual, os custos dependerão do quão grande foram os prejuízos do contratado.

Tipos de sinistro

Existem dois tipos de sinistros, o parcial e o total.

O sinistro parcial acontece quando é possível reparar os danos do carro do cliente, sendo assim, o valor gasto na indenização equivalerá apenas aos prejuízos que foram avaliados, quando o total a ser desembolsado não ultrapassar os 75% do valor que o veículo se apresenta para o mercado.

ANÚNCIO

Quando o assegurado se envolve em algum acidente e o carro apresenta estragos parciais, deve-se entrar em contato com a seguradora, que fará a remoção do mesmo para uma oficina, o cliente efetua o pagamento da franquia e o conserto será bancado pela seguradora.

O sinistro total, o famoso PT (Perda Total), ocorre quando o veículo é submetido a danos que não podem mais ser consertados, tornando-o economicamente irreparável.

Em outras palavras, quando o gasto para fazer a reforma ultrapassa os 75%, que é o máximo que cada veículo pode ser indenizado.

Neste caso, a empresa de seguro fará a restituição total da indenização para cliente. Quando o automóvel for roubado ou furtado, também entra na categoria do sinistro total.

Após efetuar o pagamento do bem subtraído e por ventura ele ser encontrado, ele ainda estará classificado como sinistrado, mas neste caso, o mesmo será repassado para ser vendido em um leilão.

Como agir após uma situação de sinistro

Quando segurado for submetido a uma situação de sinistro, ele deve realizar um procedimento padrão, que normalmente não extrapola os 30 dias.

O primeiro passo é apresentar todos os documentos exigidos para poder pedir o serviço, que podem variar de seguradora para seguradora, assim como podem variar mediante a qual sinistro ocorreu.

Todavia, existem alguns documentos que são pedidos de forma mais frequente como informações precisas sobre data, horário e local onde houve o sinistro, B.O, carteira da habilitação do condutor, documentos pessoais e do veículo, além do formulário de sinistro elaborado pela seguradora.

Na sequência é feita a apuração de danos, causa, natureza e dimensão dos prejuízos, que serão levantados por vistorias e pelo trabalho de policiais fazendo seus registros.  

Depois, acontece a regularização, onde é feita a análise do caso, concluindo se o veículo deve ser coberto ou não.

Por fim, é liberada a liquidação, a última parte do processo, que visa efetuar o pagamento da indenização, porém, se for constatado algum erro ou imprecisão, o processo pode ser encerrado sem que haja indenização.

ANÚNCIO