Um guia financeiro pandêmico para a geração millennial

Os mais jovens foram atingidos de forma particularmente dura pela crise econômica. Independentemente de você ter sido afetado ou não, aqui estão algumas maneiras de administrar suas finanças durante a pandemia.

Vários meses após a crise do coronavírus, milhões de pessoas ainda sofrem com as consequências econômicas. Os mais jovens estão em uma situação especialmente difícil.

Um guia financeiro pandêmico para a geração millennial
Foto: (reprodução/internet)

A geração Y, ou aqueles entre 20 e 30 anos, acumulou consideravelmente menos riqueza do que as gerações anteriores acumularam em estágios semelhantes da vida, e muitos jovens da geração anterior sofreram durante a Grande Recessão apenas para enfrentar a crise atual uma década depois.

“Eles já haviam entrado no mercado de trabalho em certa desvantagem”, disse Kimberly Palmer, especialista em finanças pessoais da NerdWallet . “Isso é como um golpe duplo.”

Os norte americanos mais jovens também sofreram perdas significativas neste ano. Uma pesquisa do Wall Street Journal / NBC News realizada em abril, um mês depois que a pandemia atingiu os EUA de forma pesada, mostrou que as pessoas de 18 a 34 anos tinham maior probabilidade de sofrer um golpe econômico, como perda de seguro saúde ou corte de pagamento por conta da crise.

ANÚNCIO

Quer você se enquadre ou não nessa categoria, a incerteza gerada pela pandemia pode deixá-lo preocupado com sua estabilidade financeira. Aqui estão algumas dicas para ajudá-lo a gerenciar suas finanças.

Reconsidere suas prioridades de gastos.

Se você perdeu recentemente uma renda significativa, descubra se você tem direito a benefícios de desemprego e, em caso afirmativo, inscreva-se nos programas governamentais (como o auxílio emergencial)

Em seguida, considere onde você pode economizar mais. Se você não pode mais pagar o aluguel, converse com seu locatário. Você pode negociar seu aluguel, iniciar um plano de reembolso ou até mesmo cancelar o aluguel antecipadamente.

Se você aluga por meio de uma empresa de gerenciamento, descubra se ela se reporta a agências de crédito antes de tomar qualquer decisão importante que possa afetar sua pontuação de crédito.

“Se você não pode cortar custos de aluguel ou hipoteca, revise seu orçamento para priorizar esses pagamentos e outros itens essenciais (como mantimentos)”, disse Palmer. Se você ainda está trabalhando, ele recomenda a regra de orçamento 50/30/20 : alocar 50% de sua receita após impostos para necessidades (como aluguel ou pagamento de hipoteca), 30 para desejos (entrega, entretenimento) e 20 para poupança ou dívida/pagamentos.

É apenas uma maneira útil de ter certeza de que você está se preparando para ter segurança financeira no futuro”, disse Palmer.

Se você está fazendo pós-graduação e as mensalidades se tornaram um fardo significativo, tente negociar com sua faculdade ou universidade. As instituições educacionais estão em dificuldades financeiras, disse Kelly, e podem estar dispostas a reduzir as mensalidades ou oferecer incentivos para manter os alunos matriculados.

Fique por dentro: Aprenda 4 formas de economizar em casa

Entre em contato com seus credores.

Muitas empresas e instituições têm programas de privação para ajudar os devedores em tempos difíceis. Se você está lutando para pagar empréstimos ou dívidas de cartão de crédito, ligue para seus credores e converse suas opções de pagamento.

“As acomodações financeiras geralmente estão disponíveis agora”, disse Amy Thomann, chefe de educação de crédito ao consumidor da TransUnion, uma agência de relatórios de crédito. “Os credores, assim como os consumidores, entendem as dificuldades que estão acontecendo na economia”.

Se o seu credor concordar em adiar seus pagamentos ou reduzir suas taxas de juros, o Sr. Kelly recomenda colocar o valor que você devia em um fundo de emergência.

Faça o que fizer, não permita que sua dívida se acumule. “A pior coisa que você pode fazer em uma situação financeira difícil é deixá-lo se acumular e não enfrentá-lo logo”, disse Choukhmane.

Comece um fundo de emergência

Se você ainda está trabalhando, mas não tem um fundo de emergência, comece um. A economia continua precária, então é melhor planejar com antecedência o máximo possível.

“Sempre falamos em economizar para um dia chuvoso”, disse Palmer. “Este é o dia chuvoso”.

Em um mundo ideal, você deveria economizar três meses em despesas, acrescentou ela. Se isso não for viável, economize o máximo possível para o caso de precisar de algo para se apoiar no futuro.

Se você estiver enfrentando circunstâncias terríveis e tiver uma conta de aposentadoria, uma opção é fazer um saque antecipado. Você também pode devolver a distribuição a qualquer momento durante esse período e solicitar o reembolso dos impostos já pagos.

Normalmente, você deve evitar gastar em suas economias, mas “agora estamos em uma situação em que talvez isso não esteja claro”, disse o Dr. Choukhmane.

 

Traduzido e adaptado por equipe Cotação Seguro

Fonte: The New York Times

ANÚNCIO